Pular para o conteúdo principal

[Direto do Baú] 30 de junho, 2014: "O quanto eu não suporto Biologia"


Escrevi um "monólogo" sobre meu ódio pela matéria de Biologia há alguns meses - mais precisamente em junho de 2014, durante a Copa e num dia em que as férias começaram a ficar tediosas - e postei num blog antigo. Até aí tudo bem, só que eu fui vê-lo hoje e percebi que NADA mudou, então resolvi postar por aqui. Fiquem de boca aberta.




Sabe quando uma única palavra é tão ruim, mas tão ruim de ouvir, que quando você ouve a pronúncia dela seu corpo já ativa o modo "traumático"? Pois bem, essa é a minha maravilhosa relação com a palavra B-I-O-L-O-G-I-A. Viu, nem consigo digitar a palavra sem soletrar ou vomitar.

A grande verdade sobre os fatos: o problema não é a matéria. Sou eu mesmo. Desde que conheci as Ciências do sexto ano escolar, minha vida nunca foi mais a mesma. Neste mesmo ano, só passei "me arrastando" mesmo, porque a infinidade de coisas que eu não entendia na matéria era algo que impressionava a mim mesmo. Até aí tudo bem, eu só tinha 11 anos de idade; era um inocente que não sabia das coisas maliciosas do planeta.

Mas aí... Ah, chegou o 7º ano. 2012. O ano da queda drástica. Vieram as notas abaixo de 7,0 pontos justamente em... Ciências! Essa matéria deve ter feito um pacto com o (?) demo (/?) para ferrar comigo, só pode. Mais uma vez, passei me arrastando e com a ajuda dos trabalhos escolares em grupo, onde eu usava a desculpa do "Não entenderia isso nem se eu quisesse" - desculpa bem real, porque eu não entendia mesmo - e conseguia passar.

Em 2013, com o 8º ano, a coisa continuou ruim. Passei me arrastando do mesmo jeito.

2014. 9º ano. A divisão das Ciências em #3: Biologia, Química e Física. Estas duas últimas são o paraíso em formato de matérias escolares, mas a primeira... Devo dizer que estou se estou sendo aprovado trimestre após trimestre, é de todas as maneiras, MENOS me arrastando. Rastejando como uma cobra ferrada, diga-se de passagem. Nas duas provas que tive no primeiro trimestre, foram 6,0 - cada. Na primeira prova do 2º, piorou: veio um 2,0 tachado bem bonito na prova. Resumindo: necessito tirar 10,0 nessa prova, que acontece na próxima semana, ou então meus sonhos de ganhar um iPhone 4 no final do ano terão de ser adiados... Até que eu faça 18 anos.

Mas eu não sou o único problema. Para falar de forma sincera, a professora também não coopera com a minha vida. A explicação dela já me fez dormir 1, 2, 3... 675347874653486 vezes durante a aula. A pessoa só fica falando, o povo conversa, alguém tem uma dúvida e ela vai na cadeira e pra completar diminui o tom da voz, para só a pessoa duvidosa ouvir! Pode isso, produção? Aí também não dá, né?!

A única vez em que sua aula não me fez dormir foi quando fomos ao laboratório da escola, e não foi lá uma data memorável. Tentei arrancar uma célula da minha boca para vê-la no microscópio, mas minhas nojeiras bucais não puderam ser vistas na aproximação (oi?) e tudo ficou borrado pra caramba. Foi tão non sense que eu prefiro apagar isso da minha memória, ao menos enquanto não escrevo uma autobiografia de sucesso sobre minha louca/idiota/anormal adolescência precoce.

Bom, hoje eu vivo aos trancos e barrancos com a... (Eca, como vou falar isso?) Biologia.
A música te acalmou durante este texto tenso? Pode comentar, se quiser. Eu DEIXO.

Postagens mais visitadas deste blog

"O Curioso Caso de Daniel Boone": Dreamcast [ATT]

Hello from the other side!

Segue abaixo a lista de personagens e seus respectivos "atores/atrizes dos sonhos dos autores da fic":

"A Life Without You"

Sim, crianças. Não se passou nem um dia direito e eu já tô aqui com outra música que compus. Na verdade, eu a escrevi em 2016, mas a encontrei em meus arquivos hoje e quis mostrar a vocês.  "A Life Without You" é uma das minhas composições favoritas porque experimentei uma nova linha de composição, mostrando fatos de um dia-a-dia e os misturando com os sentimentos do "eu lírico". Eu a escrevi ouvindo "Pills N Potions", da Nicki Minaj, e acabei relacionando as batidas da música dela com a metrificação dos versos aqui; então, se quiserem ouvi-la também enquanto leem, é uma boa. Espero que gostem dessa também <3 font="">

"Bullied Boy"

Sim. Ressurgi com mais uma música original escrita por mim mesmo em um dia... é... difícil. Ela é uma das mais pessoais que já fiz - todas que faço têm um pouco de mim nelas, na verdade - e compartilhá-la com vocês seria difícil se eu não resolvesse colocá-la em O Curioso Caso de Daniel Boone. Espero que aproveitem ;)